Aplicativos, carreira, concursos, downloads, enfermagem, farmácia hospitalar, farmácia pública, história, humor, legislação, logística, medicina, novos medicamentos, novas tecnologias na área da saúde e muito mais!


sexta-feira, 1 de janeiro de 2016

Dermatose papulosa nigra: saiba o que é e quais os sintomas

O surgimento de lesões no rosto sempre são motivo de incômodo para as pessoa

dermatose-papulosa-nigra-doutissima-shutterstock
Trata-se de uma doença benigna na pele de origem genética

Comum especialmente em negros e mulatos, a dermatose papulosa nigra consiste em pequenas bolinhas escuras que aparecem na pele da face e do pescoço. Mesmo que cause desconforto com relação à estética, a alteração não traz riscos à saúde.

Além de ser mais frequente entre pessoas com a pele negra e morena, a dermatose papulosa nigra acomete principalmente mulheres durante a vida adulta, embora o aparecimento das lesões possa surgir já na adolescência.

Saiba o que é dermatose papulosa nigra

A dermatose papulosa nigra é uma doença benigna da pele e tem origem genética, conforme explica a dermatologista Thaís Jerez. “São pequenas ceratoses seborreicas que se formam”, menciona.

Na prática, isso pode ser observado com o aparecimento de lesões pequenas e elevadas nas colorações castanhas ou enegrecidas. Segundo a dermatologista, algumas delas podem ser presas à pele por um fino pedículo. “No geral, são lesões com cerca de dois a três centímetros, que podem até se juntar e formar lesões maiores em alguns casos”, diz.

O tamanho das lesões podem aumentar com a exposição solar em excesso. Embora a dermatose papulosa nigra prejudique a estética do rosto, a dermatologista ressalta que ela não costuma acarretar em sintomas associados, como dor ou coceira. Por ser de caráter hereditário, não há formas de prevenção contra o problema.

Tratamento das lesões
As bolinhas escuras formadas na pele podem não representar danos à saúde, mas, certamente, muitas pessoas que apresentam essas lesões optam por retirá-las devido à estética. A boa notícia é que o tratamento é simples e os resultados são satisfatórios. Os procedimentos podem, inclusive, ser feitos no consultório médico.

“As lesões podem ser queimadas com eletrocauterização, nitrogênio líquido ou até mesmo com ácidos”, esclarece Thaís.

Conheça as formas de tratamento:

Eletrocauterização
Trata-se de um procedimento cirúrgico para destruir a dermatose papulosa nigra. Com a eletrocauterização, as lesões são carbonizadas devido à eletricidade e ao calor proporcionados por meio do eletrocautério, instrumento de metal usado para queimar os tecidos da pele.

Antes do procedimento, a pele do paciente é limpa e recebe uma injeção local que contém anestésico e vasoconstritor. Geralmente, a cicatrização ocorre em até dez dias.

Criocirurgia com nitrogênio líquido
O procedimento também destrói as lesões, já que o nitrogênio líquido, a uma temperatura de quase quase 200º C abaixo de zero, congela a dermatose papulosa nigra. Com isso, as células tratadas são mortas.

Quando o local apresenta lesões grandes, pode ser preciso recorrer à anestesia. Dias após o congelamento, o local pode ficar inchado e formar bolhas, mas geralmente fica somente escurecido e cicatriza.

Cauterização química
A dermatose papulosa nigra também pode ser retirada a partir desse método, aplicando-se uma substância cáustica nas lesões – geralmente é usado um ácido. O procedimento gera ardência leve ou pinicação e o local fica esbranquiçado. Com o tratamento, as lesões secam, pois o tecido celular morre.

O resultado aparece de sete a 15 dias depois. Antes de recorrer a um procedimento para retirada da dermatose papulosa nigra, é essencial consultar um dermatologia que avalie o caso e prescreva o melhor tratamento para cada paciente.

Doutíssima

Nenhum comentário:

Postar um comentário