Aplicativos, carreira, concursos, downloads, enfermagem, farmácia hospitalar, farmácia pública, história, humor, legislação, logística, medicina, novos medicamentos, novas tecnologias na área da saúde e muito mais!


segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Novo antidepressivo promete não reduzir desejo sexual

DE SÃO PAULO A FDA, agência que regula o uso de remédios e alimentos nos EUA, aprovou, na última sexta-feira, um novo antidepressivo que promete não reduzir o desejo sexual. O remédio, fabricado pelo laboratório Clinical Data, será vendido sob o nome comercial de Viibyrd, mas ainda não há previsão de lançamento no mercado. O princípio ativo é a vilazodona, que tem o mesmo potencial de antidepressivos como o Prozac na inibição de recaptores da serotonina. Ou seja, impede que grande quantidade de serotonina seja reabsorvida pelo neurônio que a liberou. O remédio também "mimetiza" a serotonina, encaixando-se no neurônio receptor e provocando uma resposta mais rápida. O principal apelo da nova droga, no entanto, é não causar a redução da libido. Um estudo, publicado em 2009 no "Journal of Clinical Psychiatry", comparou os efeitos sobre o desejo sexual entre pessoas que tomaram a nova medicação e pessoas que tomaram placebo. A pesquisa não detectou diferenças entre os grupos. Essa perspectiva é favorável ao novo antidepressivo, já que, segundo o psiquiatra Renério Fráguas, do Hospital das Clínicas, a diminuição do desejo é um efeito colateral comum dessas drogas. "Isso costuma restringir a aderência ao tratamento, quando o paciente começa a melhorar da depressão e sente que o medicamento está atrapalhando a vida sexual." Outros antidepressivos, como a agomelatina, não reduzem a libido, mas não são tão difundidos como os remédios tradicionais. A vilazodona, porém, não é isenta de efeitos colaterais. No estudo, foram relatados casos de diarreia, náusea e sonolência. Assim como em outros antidepressivos, as caixas de Viibyrd terão avisos sobre o risco de comportamentos suicidas para usuários com menos de 24 anos. Fráguas afirma que a eficácia da droga só será confirmada com o uso clínico. http://www1.folha.uol.com.br/equilibrioesaude/867369-novo-antidepressivo-promete-nao-reduzir-desejo-sexual.shtml

3 comentários:

  1. GOSTARI DE SABER QUANDO O VIIBRYD CHEGARA A EUROPA SERA QUE ME PODE RESPONDER AGARDEçO PELA ATENçAO

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezado Pereira. como vai? Pelo que pude pesquisar ainda agora na internet, este é um medicamento que não foi testado na Europa e não consegui nenhuma informação de que esteja disponível em outros países por enquanto. Obrigado!

      Excluir
    2. Ainda em tempo. No Brasil e no México ele foi testado mas não foi aprovado. Pelo que pude ler em relatos de pacientes que fizeram uso, os efeitos colaterais como tontura são fortes, as pessoas se sentem como se estivessem alcoolizadas.

      Excluir