Aplicativos, carreira, concursos, downloads, enfermagem, farmácia hospitalar, farmácia pública, história, humor, legislação, logística, medicina, novos medicamentos, novas tecnologias na área da saúde e muito mais!


sexta-feira, 11 de setembro de 2015

14 dúvidas comuns sobre o DIU esclarecidas

Reprodução: DIU em diversos formatos
Quem pode usar? É seguro? Dói? Especialista responde estas e outras perguntas sobre o dispositivo intrauterino
 
Muitos são os mitos que circulam sobre o DIU, um dispositivo inserido no útero com a finalidade de impedir a gravidez. Ele pode ser de cobre ou hormonal (com o nome oficial de SIU) e evita que a usuária engravide por um período de até 10 anos, dependendo do produto. O iG Saúde conversou com Alexandre Pupo Nogueira, ginecologista do Hospital Sírio-Libanês, para tirar algumas dúvidas sobre o assunto: 
 
1. É seguro?
Sim, segundo o ginecologista do Hospital Sírio-Libanês a eficácia do DIU é equiparável à da pílula anticoncepcional quando utilizada corretamente.
 
2. Diabéticas podem usar?
Podem. Não existe nenhuma contraindicação formal com relação a diabéticas. Mas Alexandre ressalta a importância dessas mulheres terem acompanhamento correto, pois o diabetes descontrolado facilita o surgimento de infecções.
 
3. Quem ainda não teve filhos não pode usar?
Podem usar, mas como o útero ainda não dilatou com a gravidez, o ginecologista alerta que a chance de o útero expulsar o dispositivo é maior.
 
4. Quem não pode usar DIU?
Mulheres com má-formação no útero, que não tenham condições de alojar o dispositivo, têm contraindicado o uso, de acordo com Alexandre.
 
“Mulheres com sangramentos anômalos, com mais de 40 anos, devem ter o endométrio investigado antes de decidir usar o DIU”. 
 
6. DIU aumenta o risco de infecção no útero?
Sim, o ginecologista explica que o DIU aumenta o risco de infecções ascendentes (quando as bactérias de alguma infecção vaginal sobem para útero ou trompas). Neste caso é ainda mais importante ficar atenta a infecções na vagina: acompanhamento médico, sexo seguro e ficar atenta qualquer corrimento são as dicas do ginecologista.
 
7. O DIU é abortivo?
Alexandre é categórico: “O DIU não é abortivo, ele é um método contraceptivo que, por sua presença física e efeitos no útero, impede o encontro do óvulo com o espermatozoide”.
 
 
8. O uso pode deixar a mulher infértil?
Não. A infertilidade pode ser causada por infecções no útero ou trompas, não por causa do dispositivo em si.
 
9. O DIU influencia na menstruação?
Sim, o DIU hormonal diminui ou cessa a menstruação em 80% dos casos, segundo Alexandre. Já o DIU de cobre pode intensificar o fluxo menstrual e até causar mais cólicas. 
 
“O DIU hormonal pode engordar, mas é raro”, conta o ginecologista que ainda explica que o efeito depende da sensibilidade ao ganho de peso de cada um.
 
“O efeito dele é parecido com o da pílula anticoncepcional”.
 
11. Dói para colocar o DIU?
Também é uma questão que depende da sensibilidade de cada um para a dor. Alexandre conta que em pessoas que já tiveram parto normal, por exemplo, a dor é menor.
 
12. O dispositivo pode incomodar ou doer no útero?
No primeiro mês, sim, pois o dispositivo pode ficar mal posicionado e vai se acomodando com o tempo. Depois desse período, incomôdos ou dores na região do útero devem ser investigados.
 
“Faz-se uma esteroscopia para ver a posição do DIU e, em alguns casos, o ginecologista até pode acabar retirando o dispositivo”, diz Alexandre.
 
13. O DIU pode sair do lugar?
Sim, além do risco de o útero expulsar o dispositivo, Alexandre conta que há casos – muito raros – em que ele pode sair pela parede do útero para dentro da cavidade abdominal. Por isso é importante fazer ultrassons semestrais, segundo o ginecologista, para verificar a posição do dispositivo e constatar se a mulher ainda está protegida de engravidar. 
 
14. Na relação sexual, o homem pode sentir o DIU?
Não. O que pode ser sentido pelo parceiro na relação sexual é o fio de nylon que acompanha o dispostivo, se ele for mal cortado depois da colocação.

iG

Nenhum comentário:

Postar um comentário