Aplicativos, carreira, concursos, downloads, enfermagem, farmácia hospitalar, farmácia pública, história, humor, legislação, logística, medicina, novos medicamentos, novas tecnologias na área da saúde e muito mais!


sexta-feira, 9 de outubro de 2015

Alprazolam engorda ou emagrece?

O Alprazolam é um remédio tranquilizante utilizado nos casos de transtornos de ansiedade, com ou sem associação a outras manifestações, como a abstinência alcoólica, e para lidar com o transtorno do pânico, com presença ou ausência de agorafobia (condição em que a pessoa tem medo de multidões e de estar em espaços abertos)
 
Ele é encontrado em embalagens de 20, 30 e 500 (especialmente para hospitais) comprimidos de 0,25; 0,5; 1 e 2 mg e trata-se de um medicamento de uso oral e que pode ser administrado somente em pacientes maiores de 18 anos de idade. A substância está categorizada na classe dos benzodiazepínicos, que atuam como depressores do sistema nervoso central e sua comercialização é autorizada exclusivamente mediante apresentação de receita médica.
 
Alprazolam engorda?
Quando o médico indica determinado medicamento para tratar um problema de ordem física ou emocional, é normal que o paciente fique preocupado em relação aos efeitos colaterais que a substância em questão pode trazer. Se essa pessoa for alguém que se importa com a manutenção da forma e não deseja ganhar quilos a mais, o aumento de peso é algo que gera preocupação.
 
Será, por exemplo, que o Alprazolam engorda? A resposta para essa pergunta é sim, ele pode causar a elevação nos quilos. Isso porque um dos efeitos colaterais mencionados em sua bula é o aumento de peso, categorizado como uma reação comum.
 
ADVERTISEMENT
Além disso, outro problema trazido por ele é por conta dos efeitos de fadiga, sedação e sonolência, classificados como muito comuns, que podem fazer com que o paciente se sinta menos disposto a praticar atividades físicas, torne-se menos ativo em seu dia a dia e tenha um gasto calórico menor durante o tratamento com o produto, fator que influencia o acúmulo de calorias e o ganho de peso.
 
Alprazolam emagrece?
Bem, se vimos que o Alprazolam engorda, então certamente ele não emagrece, não é mesmo? Errado. Por mais estranho que isso possa parecer, também é possível experimentar a perda de peso ao tomar esse remédio.
 
É que a diminuição de peso é outra das reações possíveis de ocorrer com a utilização do medicamento, classificada como um efeito comum de ser observado. O Alprazolam emagrece quando provoca a redução no apetite, também apresentada como uma reação comum, o que causa um corte no tamanho das porções nas refeições e no número de calorias consumidas e, por consequência, estimula o emagrecimento.
 
É bem difícil prever se o Alprazolam engorda ou emagrece para você, tendo em visto que cada organismo costuma reagir de uma maneira ao entrar em contato com determinada substância. No entanto, a recomendação é que de qualquer modo os usuários de Alprazolam procurem ter uma alimentação saudável e equilibrada, sem exageros, mas que permita oferecer ao corpo os nutrientes e energia que ele necessita para o seu bom funcionamento.
 
Desse modo, ele estará mais bem preparado para lidar tanto com o estímulo ao ganho ou à perda de peso que pode ser trazido pelo medicamento. Também vale a pena conversar com o médico sobre o efeito em relação à alteração de peso e discutir com ele que medidas podem ser tomadas ao perceber que o uso de Alprazolam engorda ou emagrece para você.
 
Outros efeitos colaterais 
Além do aumento ou diminuição do peso, fadiga e aumento de apetite, esses são alguns dos outros possíveis efeitos colaterais de Alprazolam:
 
Muito comuns – em 10% ou mais dos pacientes:
  • Depressão;
  • Dificuldade na coordenação motora;
  • Comprometimento da memória;
  • Fala empastada;
  • Tontura;
  • Dor de cabeça;
  • Constipação – prisão de ventre;
  • Boca seca;
  • Irritabilidade.
Comuns – entre 1 e 10% dos pacientes:
  • Confusão;
  • Desorientação;
  • Diminuição do desejo sexual;
  • Ansiedade;
  • Insônia;
  • Nervosismo;
  • Sensação de cabeça vazia;
  • Perturbação do equilíbrio;
  • Anormalidade na coordenação;
  • Distúrbios de atenção;
  • Letargia;
  • Tremor;
  • Visão turva;
  • Náusea;
  • Dermatite;
  • Disfunção sexual.
Incomuns – entre 0,1 e 1% dos pacientes:
  • Hiperprolactinemia – aumento do hormônio prolactina no sangue, que é responsável pela produção de leite materno; a condição pode ser observada tanto em homens quanto em mulheres;
  • Hipomania – caracterizada pelo humor anormal e elevado, que pode ser expansivo ou irritado;
  • Estado de euforia;
  • Alucinações;
  • Raiva;
  • Agressividade;
  • Hostilidade;
  • Agitação;
  • Alterações da libido;
  • Pensamento anormal;
  • Pensamentos invasivos;
  • Hiperatividade psicomotora;
  • Contração involuntária, lenta e repetitiva dos músculos;
  • Alterações gastrointestinais;
  • Fraqueza muscular;
  • Hepatite;
  • Problemas no fígado;
  • Icterícia – surgimento de amarelado na pele e mucosas;
  • Incontinência ou retenção urinária;
  • Irregularidade no ciclo menstrual das mulheres;
  • Aumento da pressão intraocular (dentro do olho).
Reações com frequência desconhecida: 
  • Desequilíbrio autonômico do sistema nervoso – caracterizado por sintomas como aumento da frequência cardíaca, pressão baixa ao ficar de pé e dilatação da pupila;
  • Angioedema – inchaço das mucosas
  • Edema periférico – inchaço dos membros do corpo;
  • Fotossensibilidade.
Para os pacientes com transtorno do estresse pós-traumático (TEPT), a interrupção do tratamento com o remédio pode causar irritabilidade, agressividade e pensamentos invasivos. A parada repentina na ingestão da substância ainda pode gerar depressão crônica e leve, insônia, cãibras musculares, cólicas abdominais, suor excessivo, temor, convulsão e crise de epilepsia.
 
Contraindicações e cuidados
Não utilize, sob hipótese alguma, o produto sem a orientação médica e ao receber a ordem de utilizar Alprazolam, tome o cuidado de respeitar a dosagem e frequência indicadas pelo médico. Não aumente a dose prescrita por ele, visto que o medicamento pode causar dependência, e nem interrompa o tratamento sem a sua autorização. Ao sentir os efeitos colaterais, informe-o a respeito e obedeça as suas recomendações sobre como lidar com os problemas.
 
Pessoas que possuam histórico de reações alérgicas a algum dos componentes da fórmula do produto ou de algum remédio do grupo dos benzodiazepínicos não devem fazer o seu uso. Quem tem miastenia gravis, uma doença que atinge os músculos e nervos e causa fraqueza muscular, ou glaucoma do ângulo estreito agudo, condição que traz o aumento da pressão dentro dos olhos, também não está autorizado a utilizar o produto.
 
Mulheres grávidas representam outro grupo de pacientes ao qual a substância não é indicada, seu uso não pode ser feito ao mesmo tempo que a ingestão de bebida alcoólica e é necessário redobrar o cuidado ao executar atividades que exigem atenção como dirigir ou operar máquinas enquanto estiver sob o efeito de Alprazolam.

Mundo Boa Forma

Nenhum comentário:

Postar um comentário