Aplicativos, carreira, concursos, downloads, enfermagem, farmácia hospitalar, farmácia pública, história, humor, legislação, logística, medicina, novos medicamentos, novas tecnologias na área da saúde e muito mais!


terça-feira, 27 de outubro de 2015

Catapora tem pico sazonal na primavera

Casos aumentam em mais de 650% em relação aos primeiros meses do ano
 
Do início da primavera, em setembro, até a chegada do verão, no mês dezembro, a varicela, popularmente chamada de catapora, tem um pico sazonal que se observa todos os anos. O aumento do número de casos nessa época não tem uma razão específica, mas a incidência da doença cresce de forma relevante.

Desta forma, os pais devem ficar atentos já que a catapora é altamente contagiosa. O infectologista do Hospital Infantil Sabará, Dr. Francisco Ivanildo de Oliveira, alerta para algumas orientações sobre a doença:

Vacinação a partir de um ano: a vacina da catapora faz parte do calendário nacional de imunização e, portanto, está disponível na rede pública para todas as crianças a partir de um ano de idade.

Catapora não é doença “do bem”: assim como outras doenças comuns na infância, a catapora pode evoluir para forma grave mesmo em crianças saudáveis. Por isso, de acordo com médico, aquele velho costume de incentivar o contágio entre irmãos ou outros membros da família, não é uma prática recomendada.

Sintomas
A varicela tem como primeiro sintoma comum a febre. No dia seguinte há o surgimento das primeiras manchas na pele que evoluem para uma mancha elevada e depois para bolhas com líquido. Na fase final da doença, as bolhas começam o processo de cicatrização com uma “crosta” seca. “Um alerta importantíssimo para as famílias é de que o risco de transmissão da catapora só acaba quando todas as lesões de pele estão na fase da crosta”, explica Dr. Francisco.

Tratamento
uma vez diagnosticada, o tratamento da catapora se dá por meio de recomendações médicas que aliviam os sintomas durante o ciclo da doença. Os pais devem seguir as instruções do pediatra e dentre elas está a restrição ao uso do ácido acetilsalicílico (AAS).

Evitar contato
A criança não vacinada que teve contato com outra criança com catapora ou com suspeita da doença, não deve ir à escola, shoppings e parques com objetivo de evitar maior contágio, pois a doença começa a ser transmitida dois dias antes do aparecimento dos primeiros sintomas.
 
Guia da Pharmacia

Nenhum comentário:

Postar um comentário