Aplicativos, carreira, concursos, downloads, enfermagem, farmácia hospitalar, farmácia pública, história, humor, legislação, logística, medicina, novos medicamentos, novas tecnologias na área da saúde e muito mais!


terça-feira, 10 de novembro de 2015

Diarreia e disenteria: você sabe como diferenciá-las nas crianças?

Saiba como distinguir ambas as doenças

Tanto na diarreia como na disenteria ocorre uma perda de água e eletrólitos, que resulta no aumento do número de evacuações. “Em ambas as doenças, a criança apresenta a diminuição da consistência das fezes”, descreve a gerente médica da unidade de Medicamentos Isentos de Prescrição (MIPs) Aché, Dra. Talita Poli Biason.
 
O que diferencia uma da outra é, em especial, o aparecimento de sangue nas fezes. “Chamamos de disenteria quando, além da alteração na frequência e consistência, há presença de sangue e muco nas fezes”, esclarece a médica. “A disenteria é resultado de um processo inflamatório intestinal intenso que provoca, geralmente, lesão das células intestinais e o consequente aparecimento de sangue nas fezes”, acrescenta. Os episódios de evacuações podem ter duração que variam entre poucos ou até 14 dias.
 
A causa da diarreia aguda em crianças, em grande parte dos casos, é a infecção por vírus, bactérias ou outros parasitas. “Os vírus são os principais agentes causadores da diarreia, de forma geral, na população pediátrica. Já a disenteria é, comumente, causada por bactérias específicas, como alguns tipos de Eschericia Coli e Shiguella”, informa a médica.

Nos casos de crianças que possuem sangue nas fezes, o ideal é buscar o auxílio de um médico. “Em ambas as doenças, deve-se aumentar o consumo de líquidos pela criança. O uso de Solução de Reidratação Oral (SRO) após cada evacuação diarreica é, em geral, recomendada pelos pediatras”, indica a Dra. Talita. “A SRO deve ser utilizada enquanto a criança apresentar episódios de diarreia. O zinco deve ser mantido por 10 a 14 dias (ou conforme orientação do médico)”, conclui a gerente médica da unidade MIP Aché.
 
Guia da Pharmacia

Nenhum comentário:

Postar um comentário