Aplicativos, carreira, concursos, downloads, enfermagem, farmácia hospitalar, farmácia pública, história, humor, legislação, logística, medicina, novos medicamentos, novas tecnologias na área da saúde e muito mais!


quinta-feira, 7 de janeiro de 2016

Britânico relata "pesadelo" em experiência com uso de "pílula da inteligência"

Droga é usada para aumentar concentração, tratar problemas como narcolepsia ou ajudar em alterações bruscas na rotina

Foto: BBC
Foto: BBC - Zand conseguiu comprar as pílulas em um site baseado na Índia

Encontradas de forma legal na Grã-Bretanha, as chamadas "pílulas da inteligência" têm crescido em popularidade no país.

O repórter da BBC Benjamin Zand experimentou uma dessas drogas e relatou os efeitos. Leia seu depoimento:

Uma amiga me contou sobre as "pílulas da inteligência" há algum tempo."Todo mundo toma. Elas são apenas pílulas que ajudam na concentração", disse ela, que já tomava os comprimidos.

Muitas destas chamadas "pílulas da inteligência" são usadas como medicamentos convencionais para tratar problemas como a narcolepsia ou os causados por mudanças extremas de turno de trabalho. Mas elas também têm sido consumidas por pessoas que querem trabalhar melhor.

O modafinil foi chamado de "a primeira pílula da inteligência segura do mundo" por pesquisadores das universidades de Harvard e Oxford, que sugeriram que os efeitos são de "baixo risco" quando o medicamento é consumido por um curto período de tempo.

No entanto, seus efeitos colaterais podem incluir insônia, dores de cabeça e erupções cutâneas potencialmente perigosas. Depois de ler avaliações positivas online - alguns estudantes alegavam que essas pílulas melhoraram muito seu desempenho na universidade -, decidi fazer uma experiência e tomar o medicamento.

É ilegal vender modafinil na Grã-Bretanha sem receita médica, mas não é ilegal comprar. Há muitos sites, geralmente baseados na Índia, que vendem a substância. Quando o pacote chegou, menos de uma semana depois da compra, as pílulas pareciam comprimidos de paracetamol.

Consulta e pesquisa
Depois de uma consulta médica - na qual ouvi que, por ser jovem e saudável, provavelmente não sofreria efeitos colaterais graves -, comecei a experiência. Tomei o primeiro comprimido na Universidade de Cambridge, como parte de um teste cognitivo no qual os pesquisadores analisaram minha atenção visual constante, memória espacial, função executiva e memória episódica antes e depois de tomar a pílula.

"Fizemos vários estudos, que mostram um aumento na habilidade cognitiva - com médicos (trabalhando) no turno da noite e pessoas saudáveis em um ambiente controlado para o teste", afirmou Barbara Sahakian, uma das pesquisadoras. Antes de tomar os comprimidos, meu nível de atenção estava entre os 15% a 20% dos melhores entre as pessoas da minha idade. Depois, estava entre os 5% a 10% dos melhores.

Sem dúvida comecei a me sentir mais desperto e com uma tendência menor à frustração. Mas também pode haver outros fatores que tenham afetado os resultados. Minha mente continuava alerta. Viajei durante quatro horas para minha cidade, Liverpool, e não senti o cansaço que costumo sentir. No entanto, esses foram os últimos resultados positivos que vivenciei com o modafinil.

No dia seguinte, tentei tomar outro comprimido para adiantar alguns trabalhos durante uma viagem de trem. Mas fiquei mais distraído do que o normal. A pílula fez com que eu me concentrasse nas coisas erradas, como joguinhos no smartphone.

Com o passar do tempo, comecei a sentir uma dor de cabeça muito forte, perdi o apetite e sentia vontade constante de ir ao banheiro. Meu cérebro não estava trabalhando mais rápido, mas minha bexiga estava.

Naquela noite, quando tentava dormir, não conseguia me desligar e foi assim até as primeiras horas da manhã. Também encontrei um caroço na parte de trás da minha perna e outro apareceu no meu braço no dia seguinte; os dois coçavam.

Boas experiências
Minha experiência difere da de outras pessoas. Jason Auld, atleta e empreendedor de Edimburgo, na Escócia, afirmou que acha que pode alcançar tudo o que quer quando toma o modafinil. "Faz você se sentir como se estivesse operando a 100% (de sua capacidade), você está indo com tudo o que pode. Geralmente não penso que isso é possível, mas o modafinil me permite fazer isto", disse.

Eu tive apenas uma explosão inicial de energia e aumento de concentração na primeira vez com o remédio. Depois, fiquei muito longe de meu melhor rendimento. A terceira e última vez em que tomei o modafinil também foi decepcionante: a dor de cabeça voltou, fiquei cada vez mais desidratado e não senti fome. E amigos me lembravam toda hora o quanto a minha pele parecia ruim: o modafinil não me deixava dormir e minha aparência era terrível.

Com o passar das horas eu parei de procrastinar, e o comprimido parecia estar fazendo o efeito desejado. Mas isso aconteceu apenas às 20h. Trabalhei sem parar até cerca de 23h, editando, gravando, escrevendo. Fazendo coisas que nem sabia se precisaria fazer. Sentia como se tivesse que continuar trabalhando, ao contrário de querer continuar.

Balanço
Os efeitos negativos do remédio pesaram bem mais do que os positivos. Os corpos das pessoas reagem de forma diferente a comprimidos e produtos químicos e, depois de falar com meu médico, descobri que meu fígado tinha liberado uma enzima que tentou eliminar o modafinil do meu corpo.

Pelo fato de ter comprado o comprimido na internet, também levei em conta a possibilidade de ter adquirido um medicamento adulterado. Mas Jason Auld, o atleta de Edimburgo, me disse que já tinha comprado do mesmo site.

De certa forma fiquei decepcionado por não ter tido a chance de sentir os efeitos positivos do modafinil, que tinha visto na internet. Mas também me senti aliviado por não estar perdendo nada em relação às pessoas que tomam o medicamento. Os efeitos colaterais e a falta de produtividade me mostraram que não é uma pílula milagrosa e definitivamente não pretendo tentar de novo.

BBC Brasil / iG

Nenhum comentário:

Postar um comentário