Aplicativos, carreira, concursos, downloads, enfermagem, farmácia hospitalar, farmácia pública, história, humor, legislação, logística, medicina, novos medicamentos, novas tecnologias na área da saúde e muito mais!


sexta-feira, 27 de novembro de 2015

Combate ao mosquito Aedes e diagnóstico de microcefalia

O Ministério da Saúde com o apoio da Secretaria de Vigilância em Saúde (SVS) realizou nos dias 24 e 25 de novembro, em Brasília, Reunião de Dirigentes Estaduais e Municipais de Saúde para combate à dengue, zika vírus e chikungunya. O evento teve como objetivo avaliar as atividades de controle e prevenção das doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti

Cartaz 640x4600

Na mesma ocasião, a SVS promoveu também uma reunião com especialistas de diversos ramos da medicina e da saúde pública, entre eles pediatras, obstetras, biólogos e pesquisadores para discutir e identificar a causa do aumento dos casos de microcefalia no país e elaborar um protocolo de pesquisa. Aproximadamente 80 especialistas participaram do encontro.

“Estamos diante de um fato sem precedentes no mundo, mas temos o apoio irrestrito de diversos órgãos governamentais, instituições de pesquisas, da Organização Pan-americana de Saúde e, agora, também contamos com o suporte de especialistas de diversas áreas do conhecimento. Vamos fortalecer a revisão, atualização e divulgação dos planos de contingência nacional para febre chikungunya, dengue e zika”, concluiu o secretário de Vigilância em Saúde, Antônio Nardi. O secretário reforçou ainda o apoio aos estados e municípios, “ofereceremos assessoria aos estados na criação dos planos locais, além da divulgação dos guias de vigilância”.

Oficina de comunicação
Coordenadores de comunicação das secretarias estaduais de saúde de todo o país participaram de uma oficina na tarde desta quarta-feira (25) para discutir estratégias de enfrentamento ao mosquito Aedes e analisar a cobertura da mídia no recente surto de microcefalia. Também participaram do encontro representantes da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República (SECOM) e da TV NBR, emissora da Empresa Brasileira de Comunicação (EBC).

Os coordenadores de comunicação dos estados que tiveram maior número de casos dos agravos transmitidos pelo mosquito Aedes apresentaram suas experiências no atendimento à imprensa, durante o período de epidemia. A mobilização de gestores de saúde junto à população também foi tema do encontro.

Conasems
O secretário da SVS, Antônio Nardi e o diretor do Departamento de Vigilância das Doenças Transmissíveis (DEVIT/SVS), Cláudio Maierovitch, estiveram presentes à reunião da Diretoria do Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (CONASEMS), realizada dia 25.

No encontro, Antônio Nardi, mostrou a situação epidemiológica no país, especialmente a relacionada ao zika vírus e os casos de microcefalia. Cláudio Maierovitch expos os novos dados da epidemia. “É um crescimento exponencial a partir de agosto, com um crescimento intenso nas duas últimas semanas”. Ressaltaram, ainda, que as ações contra a dengue, a chikungunya e o zika vírus devem ser permanentes durante todo o ano. 

Além disso, destacaram a relevância da capacitação dos profissionais de saúde. Na área de assistência ao paciente, a página da Secretaria de Vigilância em Saúde disponibiliza guias de manejo clínico e protocolo de classificação de risco para dengue e chikungunya. O material, também disponível em aplicativos para celular, orienta o profissional sobre sinais de agravamento da doença.

O portal da Universidade Aberta do SUS oferece um curso a distância sobre assistência a pacientes com dengue e um módulo sobre chikungunya está sendo preparado. Os profissionais de saúde da atenção básica também têm a disposição o serviço de telessaúde para esclarecer dúvidas sobre a doença.

Como preparação para o período de maior circulação, que vai de janeiro a maio, o Ministério da Saúde distribuiu insumos estratégicos, como larvicidas, inseticidas e kits para diagnóstico e deu início a campanha publicitária de combate ao Aedes, alertando que “se o mosquito pode matar, ele não pode nascer”.

Fonte: Thais Assunção/ NUCOM/SVS

Nenhum comentário:

Postar um comentário