Aplicativos, carreira, concursos, downloads, enfermagem, farmácia hospitalar, farmácia pública, história, humor, legislação, logística, medicina, novos medicamentos, novas tecnologias na área da saúde e muito mais!


quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Piores notas do SUS vêm de pessoas que não usam o serviço

Qualidade do sistema é ruim para 34% dos não usuários e para 27% dos que o utilizam A qualidade do SUS (Sistema Único de Saúde) foi avaliada de modo mais negativo pelas pessoas que não utilizam o serviço público, de acordo com o relatório SIPS (Sistema de Indicadores de Percepção Social), do Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), divulgado nesta quarta-feira (9). Para 34,3% dos não usuários, a qualidade dos serviços do sistema foi classificada como “ruim” ou “muito ruim”. Já entre os que usam o SUS, o índice foi menor (27,6%). Os dados do relatório foram coletados durante os dias 3 e 19 de novembro de 2010, por meio de entrevistas com 2.773 pessoas nas cinco regiões do país. Foram consideradas questões como sexo, faixa etária, faixas de renda e escolaridade para levantar a percepção da população sobre o SUS. Para a avaliação geral dos serviços públicos de saúde prestados pelo SUS, as categorias de resposta foram: “muito bom, bom, regular, ruim e muito ruim”. Para a apresentação dos resultados, as categorias de resposta “muito bom” e “bom” foram agrupadas, da mesma maneira que as categorias “ruim” e “muito ruim”. Para os que acham a qualidade dos serviços “regular”, o índice também é maior entre os que não utilizam o sistema (46,5%), ante os 42% dos que o utiliza. Da mesma forma, os usuários (30,4%) acham o sistema “bom” ou “muito bom” frente aos 19,2% dos não usuários. A avaliação foi mais equilibrada quando comparada entre homens e mulheres. Na opinião de 29,7% dos homens e 28,17% das mulheres, esses serviços são “muito bons” ou “bons”. Ainda segundo o relatório, pode haver relação entre a percepção dos serviços com o estado de saúde, já que os serviços prestados pelo SUS foram qualificados como “bons” ou “muito bons” por 29,1% dos entrevistados que avaliaram seu estado de saúde como positivo. Entre aqueles que tiveram avaliação negativa de sua saúde, o percentual caiu para 25,2%. Por outro lado, os serviços foram qualificados como “ruins” ou “muito ruins” por 28,1% que avaliaram seu estado de saúde como positivo e 37,1% daqueles que avaliam seu estado de saúde como negativo. Segundo o SIPS, os diferentes olhares sobre o SUS indicam que a população entende as dificuldades do sistema. - A percepção da população é mediada por inúmeros fatores, entre eles sua própria experiência na utilização dos serviços, a experiência de outros membros da família ou da comunidade, sua visão sobre como deveria ser o atendimento prestado pelos profissionais de saúde, a formação de uma opinião geral a partir daquilo que é divulgado nos meios de comunicação, entre outros. http://noticias.r7.com/saude/noticias/piores-notas-do-sus-vem-depessoas-que-nao-usam-o-servico-20120208.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário