Aplicativos, carreira, concursos, downloads, enfermagem, farmácia hospitalar, farmácia pública, história, humor, legislação, logística, medicina, novos medicamentos, novas tecnologias na área da saúde e muito mais!


terça-feira, 3 de novembro de 2015

Novas Conclusões: O que emagrece é comer menos, e não cortar gordura, diz estudo

O que emagrece é comer menos, e não cortar gordura, diz estudo Divulgação/Divulgação
Divulgação
Estudiosos concluíram que uma caloria é uma caloria, independente do alimento
 
Reduzir a quantidade de gordura na alimentação parece ser a dieta óbvia para quem deseja emagrecer, mas um estudo publicado na revista médica "The Lancet" nesta sexta-feira mostra que não é bem assim.
 
— Não há provas contundentes que sustentem as dietas de redução de gordura — afirma a autora do estudo, Deirdre Tobias, da Escola de Medicina da Harvard University.
 
Segundo a nutricionista, "por trás da habitual recomendação de reduzir as gorduras - que contêm o dobro de calorias por grama em relação a carboidratos ou a proteínas -, está a crença de que basta reduzir a ingestão de gordura para reduzir o peso naturalmente".
 
Uma análise detalhada de 53 pesquisas sobre 68 mil casos de adultos - comparando dietas magras com as outras, entre elas a ausência de dieta - demonstra claramente o contrário, quando o objetivo é a redução de peso a longo prazo, ou seja, superior a um ano. As dietas com redução de gordura se mostraram mais eficazes apenas quando comparadas com a ausência total de dieta.
 
Segundo Tobias, "a Ciência não sustenta as dietas reduzidas em gordura como a melhor estratégia de perda de peso a longo prazo".
 
— Para combater eficazmente a epidemia de obesidade precisamos continuar investigando para alcançar essa meta de mais longo prazo e mantê-la, incluindo ver além da composição dos alimentos em função dos macronutrientes, ou seja, a proporção de calorias que provêm das gorduras, dos carboidratos, ou das proteínas.
 
Dessa forma, o que conta não é reduzir a quantidade de calorias geradas pelas gorduras, mas reduzi-las no absoluto, qualquer que seja sua origem.
 
— A mensagem que retenho desse estudo é que o que determina a perda de peso é a quantidade de energia que se ingere, mais do que a quantidade relativa de gorduras e carboidratos na dieta. Mas é a ingestão total de gorduras e carboidratos que determina a ingestão de energia — comentou o nutricionista Tom Sanders, do King's College, de Londres.
 
Conclusão para emagrecer: uma caloria é uma caloria. É preciso comer menos quantidade, porções menores e evitar excesso de gordura e açúcar, especialmente em carnes, comidas fritas, pastéis e bebidas açucaradas.
 
AFP / Zero Hora

Nenhum comentário:

Postar um comentário