Aplicativos, carreira, concursos, downloads, enfermagem, farmácia hospitalar, farmácia pública, história, humor, legislação, logística, medicina, novos medicamentos, novas tecnologias na área da saúde e muito mais!


segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

Síndrome do piriforme: conheça as causas e saiba como tratar

sindrome-do-piriforme-doutissima-istock-getty-imagesA síndrome do piriforme é um conjunto de sintomas causados pela inflamação desse pequeno músculo localizado entre os glúteos. A dor pode atingir o nervo ciático e até a parte inferior das costas, causando desconforto e até debilitando movimento

Permanecer longos períodos na mesma posição, forçar demais essa região do corpo e praticar exercícios de forma errada são hábitos capazes de provocar a síndrome.

Como saber se tenho síndrome do piriforme?
O piriforme é um músculo que fica localizado entre a base da espinha e o topo do fêmur, posicionado de forma diagonal atrás do glúteo máximo. Ele é responsável pela rotação dos quadris e fica envolto pelo nervo ciático.

Ao receber estímulos em excesso surge a síndrome do piriforme: o músculo fica rígido, inchado ou tem espasmos involuntários. Por ficar tão próximo do nervo ciático, qualquer alteração muscular nesse local causa irritação e dor.

Os maiores causadores da doença são distúrbios e má formação da coluna, quadris ou pernas, fazendo com que o corpo compense alguns movimentos. Essa compensação pode levar o piriforme a exaustão. Contusões e outros traumas também podem provocar o início da síndrome.

Concentrada no bumbum, a dor irradia para a lombar e também ao longo da parte traseira das pernas, por onde percorre o ciático. O local onde está o músculo pode ficar dormente e atividades como correr ou subir escadas tendem a piorar a sensação.

A Associação Americana de Osteopatia firma que a síndrome é mais frenquente entre pessoas com idade superior aos 40 anos. O problema tmabém afeta mais mulheres do que homens, já que elas tem um ângulo mais amplo de rotação do quadril.

A síndrome do piriforme é muitas vezes confundida com problemas de coluna que também causam problemas no ciático. O diagnóstico correto é muito importante para que o tratamento seja eficiente em aliviar os sintomas.

O tratamento pode ser feito com medicamentos como anti-inflamatório e relaxante muscular, fisioterapia e manipulação osteopática. Em alguns casos é recomendado um procedimento cirúrgico para aliviar a pressão no nervo.

Previna-se da dor
Quando a síndrome é provocada por problemas na estrutura do corpo, corrigir essa situação pode acabar com a dor e ainda prevenir o desenvolvimento da síndrome do piriforme em casos onde as chances são maiores.

O reforço muscular da região das pernas e glúteos é importante para que todos os músculos trabalhem juntos de forma eficiente, evitando que o piriforme seja prejudicado. Evitar atividades que forcem muito essa região também é garantia de ficar longe de problemas.

Ficar muito tempo sentado, praticar exercícios de maneira errada e um estilo de vida sedentário contribuem para o aparecimento de diversos problemas no corpo, inclusive o estresse no piriforme. O equilíbrio entre atividades físicas moderadas e cuidados específicos podem evitar a doença.

Foto: iStock / Getty Images

Doutíssima

Nenhum comentário:

Postar um comentário