Aplicativos, carreira, concursos, downloads, enfermagem, farmácia hospitalar, farmácia pública, história, humor, legislação, logística, medicina, novos medicamentos, novas tecnologias na área da saúde e muito mais!


domingo, 19 de agosto de 2012

Novo teste usa fotografia para medir níveis de colesterol no organismo

Método utiliza câmera digital para fotografar a mão do paciente e avaliar o colesterol concentrado nas dobras dos dedos

Pesquisadores na Índia desenvolveram um exame de colesterol que utiliza uma câmera digital para tirar uma foto das costas da mão do paciente ao invés de uma amostra de sangue.

A imagem obtida é cortada e comparada com imagens de um banco de dados de mãos com níveis de colesterol previamente conhecidos.

Segundo a equipe, o novo método não invasivo e de baixo custo para rastreio do colesterol vai permitir identificar de maneira mais rápida pessoas em maior risco de doenças cardiovasculares.

A abordagem, liderada por N.R. Shanker e seus colegas da Sree Sastha Institute of Engineering and Technology baseia-se na criação de um grande banco de dados utilizando testes de sangue convencionais ligados a uma fotografia padronizada da mão que mede o colesterol concentrado nas dobras dos dedos de vários pacientes.

Eles desenvolveram um programa de computador de processamento de imagem que compara a imagem de um novo paciente com milhares de imagens cadastradas no banco de dados e compara com uma leitura específica de colesterol.

A medição da quantidade e do tipo de colesterol que circula no sangue é um importante fator de risco em doenças cardiovasculares. O excesso de colesterol não utilizado pelo organismo é depositado na parede interna das artérias como placas, o que pode reduzir o fluxo normal do sangue potencialmente causando problemas cardíacos e aumentando o risco de derrame cerebral.

O colesterol total é um indicador útil precoce de doenças, embora mais testes detalhados que distinguem entre o HDL, LDL e triglicérides são necessários para uma avaliação mais precisa da saúde dos pacientes.

A equipe acredita que o novo método não invasivo e de baixo custo vai permitir a detecção mais precoce desse fator de risco em uma população maior sem a necessidade de exames de sangue caros e invasivos.

Fonte isaude.net

Nenhum comentário:

Postar um comentário