Aplicativos, carreira, concursos, downloads, enfermagem, farmácia hospitalar, farmácia pública, história, humor, legislação, logística, medicina, novos medicamentos, novas tecnologias na área da saúde e muito mais!


quarta-feira, 23 de setembro de 2015

Problemas no labirinto são responsáveis por mais de 50% dos casos de tontura

Saiba quais são os problemas mais comuns e como prevenir as crises de tontura

Dra. SamantaDall´Agnese  
Otorrinolaringologia CRM 137576/SP
 
Independente da causa da tontura, erros alimentares são os maiores agravantes das doenças do labirinto e podem precipitar crises intensas de tontura. Problemas de saúde como hipertensão arterial, diabetes e hipotireoidismo descontrolados também pioram o funcionamento do labirinto. As doenças mais comuns do labirinto são:
 
VPPB
Esta sigla (VPBB) remete à vertigem posicional paroxística benigna. Dentro do labirinto, possuímos pequenos cristais de cálcio (chamados de otocônias) que dão informações sobre a posição da nossa cabeça. Quando alguns destes cristais se desprendem do local de origem, ficam ?soltos? no labirinto, gerando uma informação errada sobre a posição da nossa cabeça. O quadro típico é de tontura intensa, com sensação de rodar, e de curta duração. A crise é desencadeada por movimentos da cabeça, em geral para um dos lados, e melhora logo após o indivíduo sair da posição que gerou a tontura. O tratamento é feito com o reposicionamento destes cristais através de manobras que o médico executa com o paciente em uma maca.
 
Doença de Ménière A doença de Ménière é causada por um aumento de pressão dos líquidos do ouvido interno.
 
Esta doença tem alguns sintomas que costumam vir juntos:
 
•crises de tontura intensa, rotatória
 
•zumbido
 
•sensação de ouvido tampado (como quando a pessoa desce a serra)
 
•diminuição da audição que pode ser flutuante, algumas horas está melhor ou pior dependendo do estado do labirinto
 
Não se sabe a exata causa desta doença. Nosso labirinto possui alguns canais ósseos preenchidos por líquidos e estes líquidos circulam dentro dos canais conforme nos movimentamos. O movimento dos líquidos auxilia as células do labirinto a detectar nossa posição no espaço. Por motivos ainda não esclarecidos estes líquidos estão sob forte pressão na doença de Ménière, prejudicando esse mecanismo de detecção do equilíbrio. Alguns casos desta doença são relacionados com problemas metabólicos, como diabetes.
 
O tratamento da doença de Ménière inicialmente é direcionado para as crises de tontura, que costumam ser intensas. A segunda parte do tratamento consiste em investigar e tratar possíveis causas, como alterações do metabolismo do açúcar e colesterol.
 
Cinetose
Cinetose é conhecida como o "mal do movimento", um quadro de mal-estar e náuseas que certas pessoas apresentam em viagens de carro, avião ou barco. A cinetose é uma dificuldade do sistema do equilíbrio em processar diferentes informações ao mesmo tempo. Esta falha de sincronia é mais evidente quando os estímulos são maiores, como nas situações em que estamos nos movimentando em alta velocidade. Ela é mais frequente em mulheres e pessoas com histórico de enxaqueca. O tratamento pode ser feito com medicações e costuma responder muito bem a exercícios labirínticos.
 
Como prevenir crises do labirinto?
 
Devemos focar em 3 aspectos: dieta, sono e atividade física.
A dieta é muito importante porque o labirinto não possui estoques de nutrientes e depende da chegada contínua de glicose e oxigênio. Isso quer dizer que, se ingerirmos grande quantidade de açúcar refinado, como numa sobremesa, ou se ficarmos muito tempo sem nos alimentar, o labirinto não funcionará de forma adequada. O correto é evitar alimentos com muito açúcar e preferir doces mais saudáveis, como os de frutas. Também devemos fazer pequenos lanches durante as refeições, de preferência alimentos com fibras, como barras de cereais integrais.
 
Outro hábito importante é o sono. Além de produzir hormônios fundamentais para o organismo, o sono também influencia no metabolismo do açúcar. A falta de sono ainda aumenta nosso apetite, fazendo com que tenhamos vontade de comer muito mais do que precisamos e, em geral, alimentos mais calóricos.
 
A terceira dica é praticar exercícios físicos. Ficar na frente de uma tela de computador ou da TV durante horas, hábito tão comum hoje em dia, reduz nosso metabolismo e não fornece estímulo algum para o labirinto. Desde que a pessoa não esteja em crise de tontura, todo exercício é válido e deve ser feito de forma regular, ou seja, três vezes por semana ou mais.

Minha Vida

Nenhum comentário:

Postar um comentário