Aplicativos, carreira, concursos, downloads, enfermagem, farmácia hospitalar, farmácia pública, história, humor, legislação, logística, medicina, novos medicamentos, novas tecnologias na área da saúde e muito mais!


quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

Verão sem dor: cuide do ouvido na piscina e no mar e evite problemas

Casos de otite aumentam no verãoCasos de otite externa aumentam 80,5% no verão; veja dicas para evitar dores e infecções

Verão é sinônimo de sol e banhos de mar e piscina. E é muito comum nem se lembrar de proteger os ouvidos na hora de entrar na água. A consequência pode ser dores, coceiras e até inflamações ou infecções.

"A água do mar ou da piscina acumulada nos ouvidos, juntamente com a exposição ao sol, é um ambiente propício para que os fungos e as bactérias presentes na água se proliferem, podendo causar uma infecção no canal externo dos ouvidos, a conhecida otite externa”, explica Cristiane Passos Dias Levy, otorrinolaringologista do Hospital Paulista.

Sintomas da otite externa e outras doenças
A doença, de acordo com Eduardo Landini Lutaif Dolci, otorrinolaringologista da Clínica Dolci, apresenta um maior número de casos durante o verão, com 80,5% comparado a 19,5% no restante do ano. E entre os sintomas estão dor intensa no ouvido, coceira e sensação de entupimento. O tratamento é feito com remédios e paciente deve ficar 10 dias longe do mar e da piscina.

O médico ainda cita a otomicose ou otite externa fúngica, uma infecção causada por fungos da pele do conduto auditivo externo, como comum nesta época do ano. Nesse caso, o sintoma é a coceira intensa no ouvido.

"Como forma de tratamento, o indicado é a limpeza do conduto auditivo em um consultório otorrinolaringológico para remoção completa dos fungos e secreções do ouvido, associado à proteção contra o contato com água por pelo menos 10 dias e uso de gotas otológicas contendo antifúngicos", diz Dolci.

Previna-se de doenças
Para a médica do Hospital Paulista, a prevenção é o melhor remédio. “Como medidas preventivas, nunca introduza cotonetes no canal auditivo externo, nunca pingue nada além dos remédios indicados pelo médico”, indica Cristiane.

6 dicas para evitar as dores de ouvido
A fonoaudióloga Andréa Abrahão, da rede de Direito de Ouvir, lista alguns cuidados simples para evitar problemas e dores de ouvido:

1. Após nadar, seque os ouvidos com a ponta de uma toalha.

2. Se sentir a presença de água dentro do conduto, deite a cabeça para o lado e encoste a orelha em uma toalha para que o líquido saia.

3. Se a água não sair e ao menor sinal de secreção no ouvido, que pode ser escura ou amarelada, procure ajuda de um otorrinolaringologista.

4. Evite o uso de hastes flexíveis dentro do ouvido: elas servem apenas para limpar a parte externa, e não devem ser introduzidas no canal auditivo.

5. O ouvido úmido pode causas coceira, mas é extremamente importante não introduzir nenhum tipo de objeto dentro do ouvido para aliar a sensação. É preciso prestar atenção principalmente nas crianças, para que não se machuquem.

6. Em caso de dores, não se deve pingar remédios caseiros. Apenas o médico poderá dar a orientação adequada.

iG

Nenhum comentário:

Postar um comentário