Aplicativos, carreira, concursos, downloads, enfermagem, farmácia hospitalar, farmácia pública, história, humor, legislação, logística, medicina, novos medicamentos, novas tecnologias na área da saúde e muito mais!


terça-feira, 30 de setembro de 2014

Como evitar e combater os perigos causados pelo mofo dentro de casa

Reprodução: O mofo pode causar alergias respiratórias
Os tipos de bolor geralmente encontrados nas casas não produzem toxinas perigosas, mas podem provocar aflições, principalmente respiratórias
 
Em 1982, meu marido e eu compramos uma casa de veraneio em Nova York. Em poucos anos, nossa casa ficou "doente", com poças no telhado desconjuntado, infiltração e um pequeno lago no porão. Tudo isso contribuía para o bolor desenfreado dentro da casa.
 
Meu marido era especialmente sensível ao mofo, e ficava muito cansado sempre que íamos para lá. Minha cunhada, que morava o ano todo na casa, reclamava de dores de cabeça crônicas e sinusites. Eu sentia o cheiro do mofo e achei bolor crescendo nos armários de madeira e no sofá de couro.

Alergia de mofo: o que fazer

 
Para consertar o problema, construímos telhados inclinados, trocamos o isolamento, e as calhas foram direcionadas para longe da residência. Instalamos um escoadouro no porão e uma barreira de plástico pesado contra o vapor. O assoalho foi isolado. Foi preciso remover o bolor dos móveis, dos armários da cozinha e de tudo que estava dentro deles. A roupa foi lavada a seco ou lavada e secada a calor para que saísse de vez o cheiro.
 
O mofo pode aparecer em qualquer lugar onde a umidade esteja presente — um vazamento oculto, por exemplo, ou a condensação ao redor de janelas ou canos. Você pode até nem saber que o problema existe, mas certamente vai sofrer aborrecimentos.

Aromas essenciais evitam mofo, ácaros e doenças respiratórias

 
O bolor é capaz de até mesmo infectar o sistema nervoso central, algumas vezes de forma fatal, como se deu num surto de meningite em 2012 provocado por injeções de anestesia peridural contaminada por Exserohilum rostratum. Dos 751 contaminados nos Estados Unidos, 64 morreram.
 
Os tipos de mofo geralmente encontrados nas casas não produzem toxinas perigosas, mas podem provocar aflições, sendo mais bem controlados ao se impedir seu crescimento.
 
Os sintomas típicos dessas aflições lembram os de uma rinite: nariz escorrendo, espirros, olhos vermelhos ou coçando, irritação na garganta e tosse. Algumas pessoas desenvolvem eczemas. Quem tem asma corre o risco de sofrer uma crise. Segundo pesquisa da Clínica Mayo, a resposta imunológica ao bolor pode provocar a maior parte dos casos de sinusite crônica.

Exposição a mofo durante infância aumenta risco de asma

 
O que é?
O bolor é um tipo de fungo que cresce liberando esporos no ar
 
— Os esporos não são visíveis a olho nu, mas quando pousam em superfície úmida (ou quando a superfície onde eles estão se torna úmida), começam a crescer
 
— Ao ar livre, o bolor desempenha papel importante na decomposição da matéria orgânica, como folhas de árvores caídas
 
— Até mesmo os prédios mais secos contêm esporos de bolor. Onde há umidade interna, pode haver milhares por metro cúbico de ar
 
— Os esporos são onipresentes e capazes de sobreviver à secura extrema e ao frio, ficando dormentes até que a umidade e o oxigênio ofereçam chance de crescimento

Rinite Alérgica: Veja dicas de como evitar os sintomas dentro de casa

 
Se o estrago já foi feito, dicas de como limpar:
— Limpar o bolor exige cuidado. Limite a exposição usando óculos de segurança, máscara facial e luvas longas de borracha, neoprene ou PVC
 
— Não é preciso usar água sanitária — sabão e água ou um limpador comercial atóxico e bucha ou escova dão conta de superfícies duras. Seque a área imediatamente após a limpeza
 
— Se você for utilizar uma solução com água sanitária (no máximo um copo a cada quatro litros de água normal), nunca misture-a com amônia ou produto que contenha esse elemento
 
— Não pinte superfícies emboloradas. Antes, remova o bolor e depois use tinta antimofo
 
— Materiais porosos como telhas e tapetes que mofaram podem ser difíceis de limpar corretamente e, geralmente, é melhor trocá-los
 
Como evitar:
Algumas medidas podem reduzir o acúmulo de bolor interno
 
— Consertar vazamentos imediatamente e secar por completo a área afetada
 
— Limpar regularmente a sujeira das calhas
 
— Manter limpas as bandejas coletoras do ar-condicionado e da geladeira
 
— Isolar canos de água fria
 
— Usar ar-condicionado ou desumidificador, ou ambos, e trocar os filtros regularmente para manter a umidade relativa do ar abaixo dos 60% (quanto mais baixa, melhor)
 
— Colocar do lado de fora da casa a saída de eletrodomésticos como secadoras de roupa, que geram umidade
 
— Utilizar exaustor ou abrir a janela ao lavar a louça, cozinhar e tomar banho
 
— Manter liberados os orifícios de ventilação do porão
 
— Evitar utilizar tapetes e carpetes em áreas potencialmente úmidas, como a lavanderia, o banheiro e o porão
 
— Substituir esponjas e panos de prato com frequência ou lavá-los e secá-los com frequência
 
— Vazamentos no telhado podem ser um grande desafio, umedecendo o isolamento e deixando umidade atrás das paredes. É melhor reformar ou substituir o telhado preventivamente após vazamento
 
— Algumas pessoas, principalmente quem tiver alergia severa, doença pulmonar crônica ou imunidade suprimida, são afetadas pelo bolor externo em pilhas de compostagem, grama cortada e áreas com madeira. Ao limpar o quintal e passar o rastelo ou a vassoura em folhas mortas, é aconselhável que essas pessoas usem uma máscara ou respirador

The New York Times / Zero Hora

Nenhum comentário:

Postar um comentário