Aplicativos, carreira, concursos, downloads, enfermagem, farmácia hospitalar, farmácia pública, história, humor, legislação, logística, medicina, novos medicamentos, novas tecnologias na área da saúde e muito mais!


terça-feira, 30 de setembro de 2014

Calvície pode indicar diversos problemas de saúde

Desde doença cardíaca até problemas na tireoide, a queda de cabelo pode ser um sintoma importante
 
Os  homens podem temer a calvície, mas pelos menos sabem que ela não pode matá-los. Será mesmo? Na semana passada, uma nova pesquisa sobre calvície masculina – que afeta cerca de metade dos homens na faixa dos 50 – ligou o problema à uma forma agressiva de câncer de próstata.
Com informações do site do jornal britânico Daily Mail.
 
O estudo americano, publicado no Journal of Clinical Oncology, descobriu que aqueles que perderam cabelo na frente da cabeça eram 40% mais propensos a desenvolver este tipo de tumor.
 
 
Doença cardíaca: Homens carecas parecem ter maior risco de desenvolver doença cardíaca. A condição, que faz com que a oferta de sangue do coração seja reduzida devido à obstrução das artérias, é a causa mais comum de morte no Reino Unido, matando cerca de 180 mil pessoas por ano.
 
Os homens são mais propensos a morrer de doença cardíaca. Um estudo de 2013 mostrou que homens que haviam perdido a maior parte do seu cabelo se mostraram 32% mais propensos a apresentar a doença.
 
Aumento da próstata: Estudos sugerem que a calvície tem laços estreitos com a saúde da próstata – a glândula que secreta o líquido seminal e é enrolada em torno da uretra.
 
Assim como o câncer de próstata, a perda de cabelo tem sido associada ao aumento desta glândula, uma condição que afeta 40% de homens acima dos 50 anos e que pode levar a sintomas como dificuldade para iniciar ou parar de urinar.
 
Um estudo feito com 30 homens, por pesquisadores espanhóis, mostrou que homens calvos apresentaram glândulas 34% maiores do que os que não sofriam do problema.
 
Estresse: Homens e mulheres estressados produzem grande quantidade de adrenalina, cortisol e testosterona. Eles fazem com que os folículos capilares entrem na fase de ‘descanso’, quando o fio cai e o folículo permanece inativo por três meses.
 
Segundo o clínico Philip Kingsley, o estresse está associado também a condições como a alopecia, quando a perda de cabelo é dramática e repentina.
 
Diabetes do tipo 2: Algumas pessoas com diabetes do tipo 2, que acontece quando o corpo para de produzir insulina, reportam queda de cabelo.
 
Embora as evidências ainda não sejam suficientes, os especialistas acreditam que os níveis elevados de açúcar podem danificar os vasos sanguíneos que alimentam os folículos capilares com oxigênio e nutrientes, levando à perda de cabelo.
 
Períodos irregulares: A perda de cabelo em mulheres pode estar relacionada a níveis excessivos de testosterona. “Mulheres que sofrem com perda de cabelo nos seus anos reprodutivos podem ter problemas que afetam sua fertilidade, em especial a doença do ovário policístico”, diz Kinglsey.
 
A condição, em que múltiplos cistos são formados nos ovários, desencadeia sintomas como acne, excesso de pelos ou a queda de cabelos, períodos menstruais irregulares e infertilidade.
 
Um projeto de pesquisa do Imperial College London, de 2003, mostrou que 68% das mulheres com a condição também tiveram queda de cabelo, relacionada a altos níveis de hormônios.
 
Tireóide anormal: Manchas no couro cabeludo e queda de cabelo podem ser um sinal de anormalidade na glândula da tireoide, especialmente em mulheres.
 
A glândula, que fica no pescoço, libera hormônios que regulam funções vitais do corpo, incluindo o crescimento do cabelo.
 
Problemas no sistema imunológico: A calvície pode ser causada pelo lúpus, doença autoimune que provoca inflamação por todo o corpo e afeta mais de 15 mil pessoas no Reino Unido. “A perda de cabelo pode ser o primeiro sintoma de doença”, diz Geraldine Leonard, da instituição Lupus UK. “O sistema imunológico do corpo pode atacar os folículos capilares”, reforça.
 
A boa notícia
Perder o cabelo nem sempre aumenta o risco de doenças. Um estudo americano de 2010 mostrou que homens calvos tinham menor probabilidade de desenvolver tumor no testículo.
 
Além disso, ser careca pode ser uma boa notícia para a vida sexual. Altos níveis de testosterona, que danificam os folículos capilares, também são associados a uma maior libido masculina.
 
Terra

Nenhum comentário:

Postar um comentário