Aplicativos, carreira, concursos, downloads, enfermagem, farmácia hospitalar, farmácia pública, história, humor, legislação, logística, medicina, novos medicamentos, novas tecnologias na área da saúde e muito mais!


sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

Ataque isquêmico transitório

Definição

Um ataque isquêmico transitório (AIT) é um episódio no qual uma pessoa tem sintomas similares ao AVC durante 1 a 2 horas.
O AIT é frequentemente considerado um aviso de que um verdadeiro AVC pode acontecer no futuro se nada for feito para preveni-lo.

Nomes alternativos

MiniAVC; AIT; miniderrame

Causas, incidência e fatores de risco

Foto: ADAM
Ataque isquêmico transitório (AIT)

O ataque isquêmico transitório (AIT) é causado por um distúrbio temporário no fornecimento sanguíneo a uma área do cérebro que resulta em uma repentina e breve redução da função cerebral. (A redução da função cerebral é chamada de déficit neurológico.)
O AIT é diferente de um AVC. Diferentemente de um derrame, o AIT não causa a morte do tecido cerebral.
Os sintomas de AITs não duram tanto quanto um derrame e não mostram alterações em tomografias computadorizadas ou ressonâncias magnéticas. (Geralmente, o derrame mostra alterações nesses exames.)
A perda temporária de fluxo sanguíneo no cérebro pode ser causada por:
  • Coágulo sanguíneo em uma artéria do cérebro
  • Coágulo que viaja até o cérebro de alguma outra parte do corpo (por exemplo, do coração)
  • Lesão nos vasos sanguíneos
  • Estreitamento de um vaso sanguíneo do cérebro ou que chega até o cérebro
Por exemplo, a interrupção temporária no fluxo sanguíneo pode ser causada por um coágulo que ocorre e depois se dissolve. O bloqueio se rompe rapidamente e se dissolve.
As causas menos comuns do AIT são:
  • Um ritmo cardíaco irregular chamado fibrilação auricular
  • Certos distúrbios sanguíneos, como policitemia, anemia falciforme e síndromes em que o sangue é muito espesso
  • Doenças que causam problemas nos vasos sanguíneos, como displasia fibromuscular, lúpus eritematoso sistêmico e sífilis
  • Inflamação das artérias, como arterite, poliarterite e vasculite granulomatosa
  • Espasmos das pequenas artérias do cérebro
A aterosclerose ("endurecimento das artérias") é uma doença na qual se formam depósitos de gordura na parede interna das artérias. Essa doença aumenta drasticamente o risco tanto de um AIT quanto de derrames. Aproximadamente de 80 a 90% das pessoas que têm um derrame devido à aterosclerose tiveram um episódio de AIT anteriormente.
Outros riscos de AIT incluem hipertensão arterial, doença cardíaca, enxaquecas, fumar, diabetes e idade avançada.

Sintomas

Os sintomas podem começar de repente, durar pouco (de alguns minutos a 1 ou 2 horas) e desaparecer completamente. Eles podem ocorrer novamente no futuro. Geralmente, os sintomas ocorrem no mesmo lado do corpo quando mais de uma parte do corpo é afetada.
O AIT é diferente de um derrame. Porém, os sintomas do AIT são iguais aos de um derrame e incluem o desenvolvimento repentino de:
  • Fraqueza muscular no rosto, nos braços ou nas pernas (em geral, de um lado só do corpo)
  • Dormência ou formigamento de um lado do corpo
  • Dificuldade para falar ou entender quando os outros falam
  • Problemas de vista (visão dupla, perda de toda ou parte da visão)
  • Alterações de sensibilidade envolvendo tato, dor, temperatura, pressão, audição e paladar
  • Alteração do estado de alerta (incluindo sonolência, perda de resposta, inconsciência ou coma)
  • Alterações emocionais, de personalidade ou de humor
  • Confusão ou perda de memória
  • Dificuldade para engolir
  • Dificuldade para ler ou escrever
  • Falta de coordenação ou equilíbrio, descoordenação ou dificuldade para caminhar
  • Tontura ou sensação anormal dos movimentos (vertigem)
  • Perda de controle da bexiga ou do intestino
  • Incapacidade de reconhecer ou identificar estímulos sensoriais (agnosia)

Exames e testes

O AIT não mostra alterações no cérebro em tomografias computadorizadas ou ressonâncias magnéticas (a maioria dos casos de derrame mostra alterações nesses exames.) Como os sintomas e os sinais podem ter desaparecido completamente até chegar ao hospital, o diagnóstico do AIT pode ser feito somente a partir do histórico médico da pessoa.
O exame físico deve incluir um exame neurológico, que pode ser anormal durante o episódio, mas voltar ao normal após o episódio.
A pressão arterial pode estar alta. O médico usará um estetoscópio para auscultar o coração e as artérias. Um som anormal chamado sopro pode ser escutado na artéria carótida do pescoço ou em outra artéria. O sopro é causado por um fluxo sanguíneo irregular. Em alguns casos, a pressão arterial baixa também pode ser vista antes que ocorram os sintomas do AIT.
Serão feitos exames para descartar a possibilidade de derrame ou de outras doenças que possam provocar os sintomas:
  • Quase sempre é feita uma tomografia computadorizada ou ressonância magnética
  • Também podem ser feitos angiogramas, angiograma por tomografia computadorizada ou por ressonância magnética
  • Se o médico achar que você pode ter um coágulo no coração, poderá solicitar um ecocardiograma
  • O ultrassom da carótida pode mostrar se houve estreitamento das artérias do pescoço. O arteriograma cerebral revela quais são os vasos sanguíneos bloqueados ou com hemorragia
  • Um eletrocardiograma ou um monitoramento do ritmo cardíaco poderão ser feitos para verificar se há ritmo cardíaco irregular
Entre os testes e os procedimentos adicionais estão:
  • Exames de coagulação para descartar um distúrbio do sangue
  • Perfil metabólico
  • Proteína C-reativa
  • Velocidade de hemossedimentação (VHS)
  • Lipídios séricos
  • Exame de sífilis, doença de Lyme e outras infecções
O médico pode usar esses testes para verificar a existência de hipertensão arterial, doença cardíaca, diabetes, colesterol alto e doença vascular periférica.

Tratamento

O objetivo é impedir que ocorra um derrame.
Se você teve um AIT nas últimas 48 horas, provavelmente será internado no hospital para que os médicos possam determinar as causas e o tratamento.
Os distúrbios subjacentes, como hipertensão arterial, doença cardíaca, diabetes e distúrbios sanguíneos devem ser tratados adequadamente.

Foto: ADAM
Endarterectomia

Anticoagulantes, como a aspirina, podem ser receitados para reduzir a coagulação do sangue. Outros medicamentos são dipiridamol, clopidogrel, heparina, varfarina ou similares. O tratamento pode continuar por tempo indeterminado.
A cirurgia (endarterectomia carotídea) pode ser apropriada para algumas pessoas com artérias do pescoço obstruídas.
É necessário parar de fumar.
O médico pode recomendar uma dieta baixa em gordura e sal. Outras alterações na dieta também podem ser recomendadas.

Evolução (prognóstico)

O AIT não causa danos permanentes ao cérebro.
Contudo, é um aviso de que um verdadeiro avc pode acontecer no futuro. Mais de 10% das pessoas que têm AIT terão um derrame em até 3 meses. A metade desses derrames ocorre durante as primeiras 48 horas após o AIT. O derrame pode acontecer no mesmo dia ou mais tarde. Algumas pessoas têm somente um episódio, enquanto outras apresentam episódios recorrentes.
A probabilidade de um avc futuro pode ser reduzida fazendo um acompanhamento médico rigoroso para administrar os fatores de risco.

Complicações

Entre as complicações do TIA estão:
  • Morte das células cerebrais devido a um fluxo insuficiente de sangue no cérebro
  • Lesão ocorrida por queda
  • Derrame

Ligando para o médico

O AIT é uma emergência médica. Não ignore os sintomas simplesmente porque eles desaparecem. Eles podem ser o prenúncio de um futuro avc.

Prevenção

A prevenção do AIT envolve controlar os fatores de risco, como hipertensão, diabetes, doença cardíaca e outros distúrbios associados. É necessário parar de fumar.

Fonte iG

Nenhum comentário:

Postar um comentário