Aplicativos, carreira, concursos, downloads, enfermagem, farmácia hospitalar, farmácia pública, história, humor, legislação, logística, medicina, novos medicamentos, novas tecnologias na área da saúde e muito mais!


sexta-feira, 11 de dezembro de 2015

Entenda o que é e como escolher o fator de proteção solar

Não há dúvidas de que o filtro solar é um dos principais cuidados com o sol, além de ser pré-requisito para uma pele saudável

Mas você sabe o que é o fator de proteção solar (FPS) incluso nos rótulos dos produtos e como escolher a melhor opção para evitar os danos das radiações solares?

O fato é que as radiações solares que chegam à Terra diariamente entram em contato com a pele das pessoas, principalmente no verão, quando a incidência é maior. Segundo a dermatologista Tatiane Watanabe, trata-se da radiação ultravioleta – que tem uma frequência maior do que a da luz visível – e é dividida em UVA, UVB e UVC.

“As três formas podem causar danos à pele. O FPS indica o grau de proteção contra a radiação UVB. Ele é determinado por meio de comparações entre áreas expostas à radiação com e sem protetor solar em voluntários de pele clara”, esclarece.

Por isso, segundo ela, é preciso procurar um filtro com fator de proteção solar adequado, que protege da radiação UVB. De acordo com o Consenso Brasileiro de Proteção Solar, o recomendado é a utilização de produtos com FPS mínimo de 30. Entretanto, Tatiane ressalta que estar atento apenas a esse critério não é suficiente.

Para estar protegido dos raios solares, é necessário escolher um filtro que também defenda contra a incidência da radiação UVA. Responsável por isso é o PPD (Persistent Pigment Darkening), fator indicado por cruzes no rótulo ou denominado como “alta proteção UVA”.

Aplicação correta do protetor
Mas os cuidados relativos ao sol não param por aí. Além de verificar a cobertura UVB e UVA do produto, é primordial aplicar a quantidade certa no corpo.

“Infelizmente, na maioria das vezes, a proteção inscrita no rótulo não corresponde à proteção que de fato temos quando estamos expostos ao sol. A culpa disso não é da indústria farmacêutica, mas nossa, pois geralmente usamos menos filtro solar do que o necessário,” afirma Tatiane.

A dermatologista explica que o cálculo do FPS é feito com base em 2mg/cm² de produto, enquanto a proteção UVA, em geral, com 0,75 mg/cm². “Ou seja, se você não utiliza essa quantidade, a proteção que recebe não é a mesma do rótulo”.

Segundo ela, a quantidade ideal para cobrir a pele de um adulto é de aproximadamente 30 ml. “Se você não costuma utilizar isso, talvez seja interessante investir em um produto com FPS maior do que 30 para manter um nível de proteção adequado”, recomenda.

Fator de proteção solar em siglas
É normal que as siglas dos produtos causem confusão. Quando se fala em radiação ultravioleta, é preciso entender que ela é dividida em três formas: UVA, UVB e UVC. Por isso, elencamos as principais denominações para que você fique por dentro do assunto. 

FPS: índice referente à capacidade de proteção contra os raios

UVB PPG: índice de proteção contra os raios

UVA UVB: representa somente 5% da radiação ultravioleta que chega à superfície da Terra. “Biologicamente, é a mais ativa, sendo responsável pelas queimaduras solares, inflamação, hiperpigmentação e surgimento de cânceres de pele”, explica Tatiane.

UVA: a dermatologista menciona que essa radiação tem um papel maior no fotoenvelhecimento, escurecimento da pele, além de poder estar associada a cânceres de pele.

UVC: radiação ultravioleta à qual as pessoas estão minimamente expostas, pois a maior parte é filtrada pela camada de ozônio.

Vale ressaltar que, embora a escolha do fator de proteção solar seja fundamental, ela não é a única medida para evitar danos causados pelo sol. É importante evitar exposição nos horários de pico, entre as 10h e as 16h, além de usar camisetas, chapéus e camisetas para criar barreiras físicas.

Doutíssima

Nenhum comentário:

Postar um comentário