Aplicativos, carreira, concursos, downloads, enfermagem, farmácia hospitalar, farmácia pública, história, humor, legislação, logística, medicina, novos medicamentos, novas tecnologias na área da saúde e muito mais!


quarta-feira, 3 de julho de 2013

Homens superestiman interesse por atividade sexual mais que as mulheres

De acordo com os pesquisadores, as pessoas podem preencher as lacunas em sua memória usando os estereótipos de gênero para projetar as experiências que deveriam ter tido
De acordo com os pesquisadores, as pessoas podem preencher
as lacunas em sua memória usando os estereótipos de gênero
para projetar as experiências que deveriam ter tido
Pesquisa levantou a lembranças de atividades sexuais para medir os efeitos das doenças crônicas na vida dos pacientes
 
Tanto homens como mulheres superestimaram seu interesse na atividade sexual em pesquisa que analisou as lembranças do último mês em comparação com relatórios diários. Mas foram os homens que mais abusaram do direito de aumentar as lembranças sobre o desemprenho sexual no período.

De acordo com os pesquisadores, as pessoas podem preencher as lacunas em sua memória usando os estereótipos de gênero para projetar as experiências que deveriam ter tido. Por exemplo, um homem pode supor que, por ser homem, ele deve ser constantemente interessado em sexo e, portanto, acaba relatando um interesse maior do que realmente apresentou.

Além do gênero, também afetaram a confiabilidade das lembranças o estado de humor momento das resposta, assim como o tema relatado. Os pesquisadores recrutaram 101 homens e 101 mulheres para preencher inquéritos on-line sobre a sua saúde sexual, incluindo interesse em sexo, nível de atividade, desconforto ou disfunção, e satisfação. Mais da metade dos participantes estavam sendo tratados para doenças crônicas, como câncer, hipertensão, artrite, depressão ou diabetes. O resto dos participantes não estavam em tratamento para qualquer condição particular. Eles completaram as avaliações on-line diárias de sua função sexual durante 30 dias consecutivos, além de um único questionário online, que indagou sobre suas lembranças das atividades do mês anterior no 30º dia.

O estudo surgiu da necessidade de encontrar a melhor forma para medir os efeitos de doenças crônicas e seus tratamentos na saúde sexual das pessoas, disse o autor, Kevin P. Weinfurt, professor de psiquiatria e ciências comportamentais na Universidade de Medicina de Duke e membro do Duke Clinical Research Institute. " Sabemos que esses efeitos podem complicar a vida dos pacientes e atrapalhar seus relacionamentos."

Em contextos clínicos e de pesquisa, os pacientes são frequentemente convidados a recordar a atividade sexual realizada no mês anterior como uma maneira de controlar efeitos colaterais de certos medicamentos ou tratamentos, ou os efeitos da própria doença. No entanto, a confiabilidade e a validade dessas informações depende de como as pessoas podem relatar suas experiências durante este período de tempo.

O levantamento faz parte de um esforço para desenvolver medidas da função sexual e satisfação para o Patient-Reported Outcomes Measurement Information System (PROMIS® ) , um recurso desenvolvido pelo National Institutes of Health para disponibilizar índices médios ao público de saúde mental, física e social. As medidas podem ser utilizadas para avaliar muitos aspectos de pacientes que funcionam como terminais em estudos clínicos de tratamentos e seus efeitos colaterais.

" Ao longo dos anos, nossas entrevistas com pacientes ajudaram-nos a compreender a incrível carga das doenças crônicas sobre o funcionamento sexual e os relacionamentos íntimos" , completou Weinfurt .
 
Fonte isaude.net

Nenhum comentário:

Postar um comentário